Falou

 

Promebo = Lucratividade

A coordenadora do Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne (Promebo), Fernanda Nogueira Kuhl, mostra os caminhos da seleção genética que geram lucro aos criadores

“Além das DEPs, o programa trabalha com quatro índices, que foram confeccionados para facilitar a seleção de animais”

Revista AG – Como conscientizar o pecuarista a utilizar genética provada para melhorar os índices da fazenda ao invés do velho hábito de trabalhar com o “boi de boiada” para cobrir a vacada?

Fernanda Kuhl - A melhor maneira é demonstrando os ganhos econômicos que esse criador terá a médio e longo prazos. Por exemplo, se utilizarmos um animal com Índice Desmama positivo 10 (ou seja, se espera que sua progênie produza, na média, 10 kg a mais do que a média da população), com os valores de bezerro no RS, constatamos um ganho financeiro aproximado de R$ 9.000 na venda da sua produção em seis anos de utilização. E, essa conta pode ser extrapolada para a escolha do sêmen a ser utilizado no rebanho. Muitas vezes, o produtor seleciona touros somente pelo valor final da dose, sem levar em consideração o quanto a progênie dele será superior a outro, mesmo com o valor da dose mais elevado. E isso é investimento com retorno garantido.

Revista AG – Quais são as DEPs avaliadas pelo Promebo?

Fernanda Kuhl - As DEPs avaliadas no programa são: Ganhos de Peso (ganho do nascimento a desmama, da desmama ao sobreano, e do nascimento ao sobreano); Habilidade Materna; Peso ao Nascer; Conformação, Musculatura, Precocidade, Tamanho, tamanho de prepúcio e umbigo, Pelame, Racial, Pigmentação Ocular - todos à desmama e ao sobreano. Somente nas avaliações ao sobreano são geradas as DEPs de Ultrassonografia de...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!