Caprinovinocultura

 

Aproveitamento sustentável

Projeto de pesquisa avalia benefícios de coprodutos da vinificação utilizados na alimentação de ovinos

Denise Saueressig
denise@revistaag.com.br

Aproveitar resíduos da produção vegetal na alimentação animal é uma forma sustentável de integrar as duas atividades e ainda gerar benefícios ambientais. No Rio Grande do Sul, uma pesquisa que envolveu o fornecimento de coprodutos da vinificação a ovinos indicou o grande potencial desse tipo de manejo.

Coordenado pela médica veterinária Fernanda Medeiros Gonçalves, que é doutora em Produção Animal, o trabalho foi conduzido na Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e contou com a parceria da Estância Guatambu, Grupo de Pesquisa em Ecologia do Pastejo (GPEP) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e projeto Pecus, coordenado pela Embrapa. Os recursos para a pesquisa foram provenientes do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). “Envolver meus alunos em um estudo que abrangesse a produção animal, a sustentabilidade e o desenvolvimento territorial foi uma das minhas motivações para dar prosseguimento ao projeto”, conta Fernanda, que é professora do curso superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da UFPel.

A Guatambu cedeu os resíduos da uva – cascas, bagaços e sementes – assim como as 40 ovelhas Texel que participaram do experimento realizado ao longo de 2015. Com sede em Dom Pedrito, município na fronteira com o Uruguai, a estância é referência de diversificação produtiva, com criação de gado e de ovinos e lavouras de arroz, milho, soja, sorgo e sementes forrageiras. O cultivo da uva teve início em 2003 e, dez anos depois, foi inaugurada a vinícola para a elaboração de vinhos finos. “Já havíamos feito testes preliminares nos quais notamos que ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!