Leite

 

ÓLEOS FUNCIONAIS

Dra. Juliane Diniz Magalhães*

Impulsionar a produtividade com foco em lucratividade é o instinto que move toda a cadeia produtiva, pecuaristas e técnicos, e empresas focadas em produção animal são incansáveis na busca por respostas às demandas dos animais de produção. Nesse contexto, novas e inovadoras tecnologias vem surgindo para melhorar os resultados produtivos e fornecer alimentos seguros e de qualidade à população.

Embora melhorar índices produtivos seja de suma importância, a sustentabilidade do sistema e a demanda dos consumidores por alimentos mais saudáveis, focando na manutenção da saúde da população, tem sido alvo de ações concretas em diversos países como os da União Europeia, Estados Unidos e Canadá, ao longo dos últimos anos, e no Brasil não está sendo diferente. Esse fato gera a necessidade de tecnologias alternativas ao uso de antibióticos melhoradores de desempenho e tem aumentado a demanda por aditivos naturais alternativos.

Mas qual a função dos tais “aditivos” na nutrição de bovinos? A principal função dos aditivos no rúmen é controlar o ambiente, favorecendo a fermentação, melhorando a digestão e o aproveitamento dos alimentos que são fornecidos. Esse incremento visa à melhora no desempenho produtivo, aumentando a produção de leite e sólidos ou carne.

O que se busca nos aditivos alternativos e quais são os tipos disponíveis no mercado? Espera- -se desempenho das funções semelhantes aos aditivos químicos, trazendo benefícios ao processo fermentativo no rúmen ou mecanismos de proteção à mucosa ruminal e intestinal, favorecendo a digestão e absorção dos alimentos, além do benefício extra de serem amigáveis ao ambiente e livres de resíduos. Como aditivos alternativos, já foram estudados e estão em uso na alimentação de bovinos, aves...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!