O Martelo II

  

GRANDIOSO

A 16a edição do Mega Leilão da Estância Bahia atende com eficácia as demandas da pecuária brasileira e fatura R$ 31 milhões

Erick Henrique - erick@revistaag.com.br

Qual criador nunca vislumbrou, pelo menos uma vez na vida, promover um remate que registrasse um faturamento de R$ 31 milhões, em apenas poucas horas? Tal façanha foi computada no dia 23 de abril, em Água Boa/MT. É virtude de um trabalho árduo e criterioso do pecuarista e fundador do Grupo Estância Bahia, Maurício Tonhá, juntamente com seu filho Guilherme Tonhá e equipe.

Mais uma vez esses profissionais apresentaram para o mercado sua organização, agilidade de venda e resultado, com a realização do maior pregão da pecuária mundial. O remate organizado no interior mato-grossense comercializou 20.519 animais, alta de 1,8% em relação ao Mega de 2015. Passaram pelo martelo dos leiloeiros Adriano Barbosa e Paulo Brasil 14.538 machos, com média de R$ 1.614,00, e 5.981 fêmeas, com média de R$ 1.338,00. A média geral do leilão foi de R$ 1.534,00.

O lote que deu a largada foi composto por 130 bezerros de oito meses, vendido por R$ 1.880 de média. A oferta oriunda da Agropecuária Pastoril Couto Magalhães foi adquirida pelo pecuarista Milton Vilela, da Fazenda Chapéu de Mato Grosso. Frequentador de carteirinha do Mega, Vilela considera o evento de grande relevância para a pecuária tupiniquim. Para ele, investir em animais ofertados pelo Grupo é certeza de lucratividade em razão da criteriosa escolha dos bovinos.

O MegaLeilão, de Maurício Tonhá, teve novo formato em 2016

Agora, quem agitou de vez as vendas foi um lote de peso da Fazenda Rio Bonito, dos irmãos Antônio e José Luíz Medeiros, de Água Boa, com 500 garrotes, sendo um dos mais disputados do dia. Os novilhos foram recriados em pastagem de qualidade e receberam suplementação conforme a necessidade. A propriedade possui várias áreas de pasto em sistema rotacionado, em excelentes condições. De acordo com os criadores, para a fase de recria é muito importante proporcionar ganho de peso ao animal, chegando, assim, à fase de engorda bem ajustado.

Acompanharam cada lote arrematado cerca de 1.500 convidados de vários estados brasileiros. Os 43 pecuaristas foram os responsáveis pela aquisição do rebanho do leilão que teve 100% de liquidez. O remate mudou seu modelo tradicional de operação, adequando-se à nova tendência de mercado e também devido a alguns problemas referentes à licença ambiental do estabelecimento, tornando-se virtual.

“Esse resultado se dá pela demanda mundial por carne bovina, aliada à necessidade constante por animais de reposição nas fazendas do País. Podemos ofertar um volume dez vezes maior que mesmo assim seria um número inexpressivo dentro do contexto de toda a pecuária brasileira. Entretanto, uma de nossas prioridades é fornecer animais de qualidade superior”, aponta Tonhá.

O pregão idealizado pelo proprietário do Grupo há 16 anos passou a fazer parte do calendário oficial da pecuária brasileira na comercialização de bovinos. O mercado aguarda com muita expectativa as datas do evento, considerado o grande balizador de preço da bovinocultura de corte no Mato Grosso, setor considerado um dos mais importantes para a economia nacional.

A Estância Bahia agora direciona seu planejamento para o Mega Leilão da capital Cuiabá. O próximo evento acontecerá dia 21 de maio, a partir das 14 horas no Centro de Eventos da empresa. Outra excelente oportunidade para os leitores da Revista AG movimentarem seu sistema produtivo, visando à tão desejada rentabilidade no futuro. Como de praxe, serão negociados animais para cria, recria e engorda selecionados com rigor pelo staff da Estância Bahia.