Sala de Ordenha

Produção em queda e preços em alta

mercado está firme e os preços do leite ao produtor, em alta. Segundo levantamento da Scot Consultoria, considerando a média nacional, o litro ficou cotado, em média, em R$ 0,983 no pagamento de fevereiro.

O aumento foi de 1,7%, frente ao pagamento anterior. No acumulado desde novembro do ano passado, quando o mercado começou a se firmar, a valorização é de 2,5%.

O produtor está recebendo 11,1% mais pelo litro de leite na comparação com fevereiro do ano passado.

A produção está em queda nas principais bacias do Sudeste e do Sul do País. A concorrência entre os laticínios é grande.

Apesar de normal para o período, a curva de produção foi prejudicada pelos custos de produção em alta, menores investimentos e corte de gastos por parte do produtor. Muitos produtores reduziram o rebanho nos últimos meses ou até mesmo deixaram a atividade.

Segundo o Índice Scot Consultoria para a Captação de Leite, em janeiro de 2016, a produção, considerando a média nacional, diminuiu 2,5% em relação ao mês anterior.

Para fevereiro deste ano, os dados parciais apontam para queda de 1,4% na produção brasileira.

A produção deve continuar caindo no Brasil Central e nas Regiões Sudeste e Sul do Brasil.

Por outro lado, no Nordeste, a produção deve aumentar no curto e médio prazos, com as chuvas mais regulares a partir de abril.

Para o pagamento de março (produção de fevereiro), 75% dos laticínios pesquisados acreditam em alta dos preços ao produtor, 18% falam em manutenção e os 7% restantes estimam queda para o produtor.

Figura 1 - Preço do leite ao produtor (média nacional ponderada) - em R$/litro, em valores nominais

Fonte: Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br

Os laticínios que apontam para queda no preço do leite ao produtor Rafael Ribeiro de Lima Filho, zootecnista Scot Consultoria estão no Ceará, na Bahia e em Pernambuco. O mercado deverá seguir em alta no curto e médio prazos.

No mercado spot, ou seja, o leite comercializado entre as indústrias, os preços do leite subiram fortemente em fevereiro e março, corroborando com o cenário de oferta mais ajustada à demanda no mercado interno.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, em São Paulo, o preço médio ficou em R$ 1,318 por litro, uma alta de 5,4% em relação à segunda quinzena de fevereiro deste ano. O preço máximo foi de R$ 1,42 por litro.

Em relação a março do ano passado, o leite spot subiu 31,7% no estado.

Em Minas Gerais, o preço médio ficou em R$ 1,327 por litro, um aumento de 8,7% em relação à quinzena anterior.

No curto prazo, não estão descartadas altas de preços no mercado spot.

QUEDA NA PRODUÇÃO

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou em março deste ano os dados de captação de leite do último trimestre de 2015.

Considerando a produção formal, foram adquiridos 6,28 bilhões de litros nos três últimos meses do ano passado, uma queda de -3,9% em relação ao mesmo período de 2014.

No acumulado de janeiro a dezembro de 2015, foram captados 24,05 bilhões de litros, 2,8% menos que o volume recolhido em 2014.

Desde o início da série do IBGE, em 1997, a produção não havia recuado.

Os números corroboram com o cenário de oferta mais ajustada no mercado interno e que tem colaborado para altas de preços do leite ao produtor.

Rafael Ribeiro de Lima Filho, zootecnista Scot Consultoria