Falou

 Tecnologia que faz diferença

O coordenador de Marketing da Nogueira Máquinas Agrícolas, André Latarini, fala com detalhes sobre a atuação da companhia em prol da produtividade agropecuária

“Estamos em um momento crucial onde não podemos mais fugir da tecnologia para o auxílio do comercio digital”

Revista AG – Quais atributos levaram a Nogueira a dominar a categoria fenação no Touro de Ouro?

André Latarini - Acredito que o pioneirismo nessa linha e a qualidade de nossos produtos associados à tradição de nossa marca nos fizeram levar esse prêmio há mais de sete anos consecutivos. Inclusive, conquistamos também prêmios nessa categoria em outros concursos que acontecem pelo Brasil e que fazem, assim, nossas segadeiras, espalhadores, enleiradores e enfardadeiras estarem entre os melhores quando o assunto é fenação.

Revista AG – O produtor está sempre buscando meios para agilizar o processo de compra dos produtos que serão utilizados na fazenda. A Nogueira possui dispositivos eletrônicos, como aplicativos para celulares, que facilitam a aquisição desses itens?

André Latarini - Estamos em um momento crucial no qual não tem mais volta e que não podemos mais fugir da tecnologia no auxílio ao comércio digital. Então, a Nogueira, sempre atenta a esse assunto, lançou há algum tempo seu novo site de fácil navegação mobile, com uma grande atenção voltada para as redes sociais que nos fizeram estar entre as primeiras marcas em números de seguidores do setor implementos agrícolas. Essa iniciativa estreitou cada vez mais a relação com o produtor para levar com mais agilidade as informações relevantes de nossos produtos ao alcance de todos. Lançamos também nosso catálogo linha geral em versão digital para smartphones, no qual, com alguns cliques, o cliente baixa a linha de produtos e tem toda informação na palma da mão. Além de gerar economia em impressões, colabora com o meio ambiente, pois utilizamos menos papel. No momento estamos com equipes trabalhando para aperfeiçoar e implantar um sistema e plataforma de e-commerce que será uma novidade em breve.

Revista AG – Como é feita a divisão dos produtos que a Nogueira comercializa?

André Latarini - A companhia possui a linha geral dividida em cinco categorias: Linha Verde/Pecuária Estacionária, formada por desitengradores, ensiladoras e moinhos; Linha Vermelha/Pecuária Tracionada, formada por Colhedoras e Plataformas de Forragem, Vagões Forrageiros e Vagões Misturadores (Mixers); Linha Laranja/Fenação, formada por segadeiras, enleiradores, espalhadores e enfardadeiras; Linha Amarela/Agrícola, formada por distribuidores e semeadeiras; e Linha Marron/Armazenagem, formada por embutidoras e extratora de grãos.

Revista AG – Dentre as linhas de colhedora de forragens da companhia, qual tem recebido mais destaque dos pecuaristas?

André Latarini - Assim como nossos produtos para fenação, as nossas colhedoras também são muito premiadas e a última conquista foi o importante “Troféu Agroleite”, concedido pela Cooperativa Castrolanda, de Castro/PR, que é umas das mais importantes regiões produtoras de leite no Brasil, onde nossa marca foi a mais lembrada por todos os produtores e cooperados. Devemos isso ao nosso “Exclusivo Sistema Quebrador de Grãos”, que faz parte de nossas Colhedoras e foi desenvolvido em parceria com universidades e tem como principal objetivo desintegrar o grão na silagem, dando mais digestibilidade à mesma, e, por consequência, aumentar a produtividade do rebanho. Como destaque, podemos citar a New Pecus, New Pecus Duo e a New Cat 1200, todas reformuladas e grande sucesso nos lançamentos do ano passado.

Revista AG – No ano passado, a Nogueira lançou um projeto Uninog que estimula a união entre a teoria e a prática do agronegócio. Conte mais detalhes sobre essa iniciativa.

André Latarini - O projeto Uninog é um grande sucesso e visa estreitar a relação, apoiar e trocar informações entre as universidades, corpo docente, alunos e nossa empresa, através de parcerias, estudos, palestras para dar oportunidade a iniciativas que beneficiem o agronegócio brasileiro. Como exemplo podemos citar o “Exclusivo Sistema Quebrador de Grãos” e a “Silagem de Grão Reidratado”, projetos frutos de parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa/ PR e também a Universidade Federal de Lavras/MG. Os estudos do projeto, além de outros em andamento, serão publicados e disponibilizados em nosso site para acesso público.

Revista AG – Um dos pilares da empresa é investir em inovação. Quais requisitos a Nogueira acredita ser indispensáveis para alcançar essa meta?

André Latarini - Possuímos um amplo e competente departamento de engenharia na sede localizada em Itapira/SP, nas instalações do grupo NB Máquinas Ltda, onde a Nogueira, com as informações vindas do campo, das universidades e das representações internacionais, busca lançar máquinas e implementos que resolvam a necessidade do produtor a um custo/benefício interessante.