Sala de Ordenha

Mercado se firmando

O preço do leite pago ao produtor teve alta de 0,7% no pagamento de janeiro de 2016, referente ao leite entregue em dezembro do ano passado.

Foi a segunda alta consecutiva. O mercado se firmou com a produção mais ajustada nos últimos meses e com o aumento dos custos de produção.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, o produtor recebeu, em média, R$ 0,966 por litro, considerando a média nacional. Veja a figura 1.

Os aumentos da produção foram menores na safra atual. Segundo o Índice Scot Consultoria para a Captação de Leite, em dezembro de 2015, a produção, considerando a média nacional, aumentou 1,5% na comparação com o mês anterior.

Para uma comparação, em dezembro de 2014, o aumento mensal foi de 2,6% na produção.

Para janeiro de 2016, o aumento previsto é de 0,8% na captação (dados parciais), em relação a dezembro do ano passado. Com as quedas nos preços do leite ao produtor e forte aumento dos custos de produção, a margem para o produtor estreitou, diminuindo os investimentos e gastos na atividade.

Muita vaca leiteira foi enviada para abate em 2015, aproveitando os preços em alta da arroba.

Para o pagamento de fevereiro de 2016 (produção de janeiro/16), 43% dos laticínios pesquisados acreditam em alta dos preços ao produtor, 42% falam em manutenção e os 15% restante estimam queda para o produtor.

A expectativa é de mercado firme nos próximos meses. Os aumentos nos preços do leite devem ser mais fortes daqui para frente.

A captação menor, com a curva de produção recuando nas principais regiões produtoras colabora com este cenário.

Além disso, os laticínios, diante dos aumentos de custos produção, têm reajustados os preços aos produtores. Os aumentos dos preços no atacado têm permitido os repasses para o produtor.

Do lado do consumo, espera-se melhora a partir de fevereiro, com o final das festas e férias, mas de qualquer maneira 2016 ainda será um ano de demanda interna patinando.

No mercado spot, ou seja, o leite comercializado entre as empresas, os preços subiram em janeiro e fevereiro deste ano, o que corrobora com o cenário de oferta e demanda mais ajustadas no mercado interno.

Em São Paulo e Minas Gerais, foram verificados negócios em até R$ 1,30 por litro no mercado spot.

Rentabilidade da atividade leiteira

No caso da pecuária leiteira, os resultados econômicos foram pressionados pela queda nos preços do leite ao produtor e pelo aumento dos custos de produção.

Comparando as médias de 2015 em relação a 2014, o preço do leite caiu 3,3% em valores nominais, enquanto os custos de produção subiram, em média, 5,4%, segundo o Índice Scot Consultoria de Custos de Produção da Pecuária Leiteira.

A rentabilidade média da atividade de alta tecnologia caiu de 7,91% em 2014 para 1,69% em 2015. Já a pecuária leiteira de baixa tecnologia amargou mais um ano de prejuízo (-7,61%). Foi o pior resultado dentre as atividades agropecuárias analisadas. Só perdeu para o Ibovespa, cuja queda foi de 13,31% em 2015.

Rafael Ribeiro de Lima Filho, zootecnista
Scot Consultoria