Do Pasto ao Prato

 

RENOVAÇÃO: NA MENTE E NOS TOUROS

Fernando Velloso é médico-veterinário e sócio-proprietário da Assessoria Agropecuária FF Velloso & Dimas Rocha
www.assessoriaagropecuaria.com.br

A maioria dos criadores envolvidos com os programas de melhoramento genético costuma repetir um quase “mantra”: “o touro jovem é o melhor recurso genético disponível”. Muito bem, a afirmativa tem lógica e fundamentação técnica, porém, é pouco aplicada na prática. Na seleção de bovinos existe uma resistência à renovação de genética, assim como o ser humano tem aversão na renovação de gestores, líderes, diretores, presidentes, etc., nos mais diferentes setores da sociedade. Essa situação leva-nos também a uma estagnação na forma de pensar, pois ocorre um desequilíbrio entre forças conservadoras e progressistas. A filosofia e a política estão presentes até na genética de bovinos. Impressionante!

A nossa empresa assumiu a responsabilidade da Coordenação Técnica do Teste de Progênie Angus (Alta/Progen) e estamos com esse trabalho em pleno andamento. O projeto foi apreciado e aprovado pela Associação Brasileira de Angus, buscamos o apoio da Associação Nacional de Criadores (ANC) e de seu programa de melhoramento genético, o Promebo, e também o suporte da Embrapa CPPSul. O propósito do teste é identificar e distribuir a genética dos melhores touros jovens da raça Angus em rebanhos que fazem avaliação genética e também em rebanhos comerciais.

As etapas do teste, de forma resumida, são as seguintes:

a) Definição dos critérios técnicos para seleção dos touros jovens
– São candidatos os reprodutores jovens constantes na listagem “Touros Jovens Superiores para Acasalamento” (ou Touros Jovens SA) do Sumário Promebo 2015, com Índice Final igual ou maior a 20; nessa relação, estão os melhores 100 machos Deca 1 (ou Top 10%) da Ger. 2013 avaliados no programa.

b) Revisão a campo dos animais
– Além de ótimos dados, os animais devem ter correção estrutural, boa conformação e adequado padrão racial.

c) Envio dos animais para a Central Progen (Dom Pedrito)

d) Coleta e distribuição do sêmen para rebanhos colaboradores e comerciais

e) Coleta de dados dos resultados em IAT

f) Avaliação genética dos produtos em rebanhos controlados

g) Contratação dos touros jovens que se provarem “Touros Pais Superiores”

Os itens a, b e c já foram realizados nesta primavera e chegamos à seleção de seis touros Angus, sendo cinco pretos e um vermelho. Essa diferença no número de animais pretos e vermelhos não se deve à qualidade dos animais, mas, sim, à maior demanda por genética de animais pretos pelo mercado de inseminação artificial. Os touros listados a seguir são os animais selecionados para o Teste de Progênie Angus 2015.

TRADIÇÃO 2028 integrou o Trio Grande Campeão PC da Exposição Nacional de Rústicos 2015

Algumas considerações podem ser feitas com o término dessa etapa do trabalho:

TESTE 2007 x TESTE 2015

A primeira edição do Teste de Progênie Angus ocorreu em 2007 e é visível o avanço nos sistemas de produção de lá para cá. Em 2007, a maioria dos touros era preparada para venda com três anos de idade. Dessa forma, os touros jovens (dois anos) revisados como candidatos ao teste eram muito leves e com apresentação muito aquém para fins comerciais, e, especialmente, para venda de sêmen. Raros eram os touros de dois anos com bom peso e desenvolvimento. Em 2015, o cenário é totalmente distinto e a maior parte dos animais candidatos ao teste está com muito bom peso (acima de 650 - 700 kg) e com muito bom apelo comercial. Dessa forma, o teste passou a ser uma ótima ferramenta até para captação de touros doadores de sêmen para uso imediato.

REBANHOS NOVOS
Na revisão dos animais candidatos ao Teste 2015 estavam presentes criadores que podemos considerar “novos”, com cinco, dez ou 20 anos de criação, o que, em bovinos de corte, ainda é pouco tempo. A presença desses rebanhos mostra-nos que somente tradição (50 ou mais anos de criação) não é suficiente para produzir animais superiores. Na listagem dos 100 Touros Jovens SA figuram vários afixos menos conhecidos e até aparecem pouco ou não aparecem afixos renomados. Vejo esse fato como positivo e estimulante aos novos criadores, pois há grande possiblidade de novos projetos rapidamente produzirem touros geneticamente superiores e com demanda por um mercado diferenciado.

TOUROS DE EXPOSIÇÕES
Um dos touros selecionados para o teste, o TRADIÇÃO 2028, integrou o Trio Grande Campeão PC da Exposição Nacional de Rústicos (Expointer 2015). Ele também foi escolhido como o Melhor Touro PC da exposição. Se fosse rotina escolher o Supremo Campeão, comparando PC e PO, haveria boa chance de também vencer, pois é um animal de exceção, daqueles considerados quase unanimidade entre os criadores. Comento essa questão para demonstrar que é possível conciliar ótimos índices com muito boa conformação. De outra parte, que é possível participar de programas de melhoramento genético e de exposições de rústicos. O mesmo se torna bastante difícil ou de baixo valor no caso de animais de elite/argola.

BOM REBANHO É FEITO DE BOAS MÃES
Outro exemplo prático desse trabalho foi o caso do touro RIO DA PAZ 1096. Esse reprodutor selecionado para o teste de progênie é filho da Vaca nº1 no Sumário 2015 (Vacas Líderes), ou seja, sua mãe tem produzido touros superiores na avaliação genética (fábrica de touros Dupla Marca). Pode parecer redundância, mas um plantel de qualidade é diferenciado por boas matrizes, pois os touros estão disponíveis para todos os rebanhos.,

NACIONAIS E IMPORTADOS
Ainda é baixo o uso de touros nacionais nos rebanhos registrados da raça Angus. No final da seleção dos touros ficamos somente com um filho de pai nacional, o SANTO ANTÃO 761, filho de um touro “crioulo” da seleção da Cabanha Santo Antão. Os demais são todos filhos de importados, americanos na totalidade, em 2015. Em recente artigo neste espaço demonstrei que os touros nacionais estão muito bem ranqueados no Sumário de Touros Promebo e com índices iguais ou superiores aos mais importantes pais importados. Faz sentido, pois estamos selecionando do pool genético disponível (brasileiros, americanos, canadenses, argentinos, etc.) os animais com melhor desempenho e adaptação ao nosso meio.

Os touros selecionados para o Teste de Progênie 2015 representam o trabalho bem feito de muitos criadores de Angus. Os poucos que credenciaram seus animais e os muitos que fazem boa seleção nos seus plantéis e participam ativamente do programa de melhoramento genético. A próxima etapa é maximizarmos o uso em rebanhos controlados e comerciais. Com os resultados da produção, conheceremos os acertos e ajustes necessários. Assim construiremos a verdadeira genética brasileira.


Causos: Recentemente estive em uma exposição no interior do RS. Um produtor me comentou que estava passando as rédeas do seu Núcleo Regional de Criadores para um jovem, pois a renovação era necessária. Brinquei com ele que estava tudo muito certo, pois o touro jovem é o melhor recurso genético disponível. Ele me retrucou dizendo que só há touro jovem porque existem ou existiram bons touros velhos. Fim de discussão e seguimos para provar o assado. Que bom quando existe renovação, avanço, visão progressista. Que bom quando o touro velho nos auxilia e dá o lado para entrar em campo o touro jovem.


Warning: getimagesize(/revistas/ag/imagens/id_394/dopastoaoprato_1.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/a/fb/47/edcentaurus/public_html/edcentaurus/application/controllers/AgController.php on line 439