Sala de Ordenha

Segundo mês de alta

O s preços do leite pagos ao produtor subiram no pagamento de abril, referente à produção entregue em março. Foi a segunda alta consecutiva.

Considerando a média nacional, o produtor recebeu R$ 0,914 por litro. A alta foi de 2,3% em relação ao pagamento realizado em março. Veja a figura 1.

A produção em queda na região Sudeste e no Brasil Central dá sustentação aos preços do leite na fazenda. É o início de entressafra nessas regiões.

Por outro lado, a produção aumentando nos estados da região Sul pressionam as cotações para baixo.

Para abril, considerando a média nacional, os dados parciais apontam para ligeira queda, de 0,1% em relação a março (praticamente estável). Os volumes captados no Brasil Central e na região Sudeste estão em queda desde dezembro de 2014, pico de produção na temporada passada.

Em curto e médio prazos, os fatores climáticos como a queda nas temperaturas, a menor luminosidade e o menor volume de chuvas devem afetar a produção de leite no Brasil Central e na região Sudeste.

Na região Sul, a expectativa é de aumento da produção já a partir de Rafael Ribeiro de Lima Filho, zootecnista Scot Consultoria maio, com as pastagens de inverno e suplementação dos animais. A produção deve aumentar também no Nordeste.

A queda nos custos de produção com alimentação concentrada pode gerar investimentos por parte do produtor e refletir na produção de leite.

Para o pagamento de maio (produção de abril), 52% dos laticínios pesquisados acreditam em alta dos preços e os 48% restantes falam em manutenção das cotações.

Para o pagamento de junho, referente ao leite entregue em abril, o cenário é de mercado firme e preços em alta.

No atacado, os preços dos lácteos ficaram praticamente estáveis na primeira quinzena de maio, o que reforça a ideia de demanda patinando no País, principalmente para os produtos de maior valor agregado.

No mercado spot, ou seja, o leite comercializado entre as indústrias, os preços estão firmes em São Paulo, Minas Gerais e Goiás, e também no Sul do País.

Rafael Ribeiro de Lima Filho, zootecnista Scot Consultoria