Notícias do Angus

Iniciam os abates do Programa Carne Angus Certificada no Frigorífico São João

Fabio Medeiros, gerente do Programa Carne Angus Certificada

O Frigorífico São João (São João do Itaperiú/ SC) começou na primeira semana de fevereiro a produção da Carne Angus Certificada para o Programa Carne Angus, em Santa Catarina.

A Agropecuária Carboni Ltda (Videira/SC) foi o primeiro pecuarista a fornecer animais Angus certificados ao novo parceiro do Programa. Segundo a médica veterinária Ana Carolina Dias, que coordena a região onde a unidade do São João está inserida, “os animais apresentados eram excelentes, possuíam ótimo acabamento e conformação de carcaça ideal”.

Os animais abatidos na unidade do São João contam com premiações especiais pela qualidade. “O frigorífico premia os animais (machos e fêmeas) com valores até 10% sobre o preço da arroba, ao qual se soma o incentivo do programa de novilho precoce do estado”, revela Fábio Medeiros, gerente Nacional do Programa Carne Angus. Ele ressalta que a soma dos dois valores pode chegar a 13,5% acima da base de negócio. “São as maiores premiações por qualidade Angus do Brasil”, sentencia Medeiros.

A partir do primeiro abate de animais do Programa Carne Angus Certificada, o Frigorífico São João passa a oferecer ao mercado catarinense sua nova marca comercial, com a certificação da entidade. O produto estará disponível nas principais casas de carne de Santa Catarina.

Mais informações sobre o Programa Carne Angus Certificada: www.carneangus.org.br e telefone (51) 3328-9122 / Contatos para venda de animais ao Frigorífico São João, com Nazaré, no telefone (47) 3458.3000.

O presidente da Associação Brasileira de Angus, José Roberto Pires Weber, levou demandas ligadas à produção e à exportação de carne bovina à reunião com a nova ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Katia Abreu, realizada em fevereiro, em Brasília. Também participaram outras entidades da cadeia produtiva, como Abiec, Abrafrigo, Abeg e representantes da indústria frigorífica.

Weber solicitou atenção especial da ministra à implantação da Plataforma de Gestão Agropecuária (PGA), que objetiva a criação de banco de dados único das cadeias produtivas do agronegócio de todos os estados. A entidade foi a primeira na pecuária a se inscrever na PGA.

Além disso, o presidente da Angus pediu o empenho do Mapa para a abertura da cota 481, para exportação de carne bovina em condições especiais à União Europeia. “A cota 481 – High Quality Beef conta com tarifas especiais e excelente valorização para a carne de alta qualidade, oriunda de animais terminados em sistemas intensivos, e se encaixa perfeitamente no Angus produzido em nosso país, especialmente na Região Centro-Oeste, onde predomina o sistema de confinamento” afirmou o dirigente.

José Roberto Pires Weber, presidente da Associação Brasileira de Angus

“Também nos posicionamos a favor da rastreabilidade bovina como instrumento de boas práticas produtivas e pela liberação das avermectinas para bovinos. Além disso, acompanhamos os pleitos de outros agentes da cadeia da carne bovina em prol do fortalecimento da atividade, a segunda mais representativa do agronegócio brasileiro, e endossamos pedido dos frigoríficos para que o Governo Federal trabalhe na abertura de novos mercados para a carne brasileira”, assinalou José Roberto Pires Weber, ressaltando que a Associação Brasileira de Angus foi a única entidade de raça bovina presente à reunião com a ministra Katia Abreu.

“A ministra se mostrou extremamente receptiva às demandas da cadeia da carne e pediu algumas semanas para se posicionar sobre os temas mais urgentes, como a Instrução Normativa nº 13, que proibiu a comercialização de avermectinas”, explica o presidente da Angus.