Falou

 

Investir para crescer

O diretor-presidente, Luciano Roppa, mostra os planos para a Nutreco Brasil figurar entre as cinco maiores até 2015

"Este ano tem se mostrado excelente para o setor de gado de corte e essa tendência deve se manter em 2015"

Revista AG - No pulverizado mercado brasileiro de nutrição animal, com mais de 2 mil empresas, como a Nutreco se consolidou?

Luciano Roppa - A consolidação começou com a aquisição de duas empresas brasileiras que já operavam e conheciam a fundo o mercado de nutrição animal. A compra da Fri-Ribe começou em 2009 e terminou em 2012. Nesse mesmo ano, a empresa comprou a Bellman. Essas duas companhias vieram a se somar a outras duas do Grupo Nutreco, que já operavam no mercado brasileiro: a Sloten - proprietária dos produtos lácteos Nuklospray (para leitões) e Sprayfo (para bezerros) - e a Selko, que atua na área de aditivos alimentares (acidificantes, adsorventes de micotoxinas, imunoestimuladores, etc). Atualmente, a Nutreco Brasil possui sete fábricas e 780 funcionários, além de produzir 250 mil toneladas de rações e suplementos minerais por ano.

Revista AG - A Nutreco tem adquirido grandes empresas do setor, qual o objetivo dessa estratégia?

Luciano Roppa - Os principais objetivos dessa estratégia são estar entre as cinco maiores empresas de nutrição animal do Brasil em 2015; desenvolver um portfólio completo e que atenda as necessidades dos produtores; trazer inovações mundiais que auxiliem os produtores a melhorar sua eficiência; e desenvolver um sistema de serviços e assistência que auxilie o produtor a atingir os objetivos. O resultado disso é que somos a 2ª maior empresa de rações para camarões, a 3ª de suplementos minerais para bovinos, a 2ª em nutrição de equinos, a 3ª empresa de rações comerciais, assim como a 3ª na comercialização de rações para peixes.

Revista AG - Quais são os planos do grupo para a região Centro-Oeste e o restante do Brasil?

Luciano Roppa - O último grande investimento da Nutreco no Brasil foi exatamente no Centro-Oeste brasileiro. Finalizamos a construção da sétima planta em Cuiabá no final de 2013. Trata-se de uma moderníssima fábrica de sal mineral, com capacidade para produzir 50 mil toneladas por ano. Investimos na contratação de profissionais que conhecem a realidade da região e passamos a atender nossos clientes com a qualidade dos produtos e serviços da marca Bellman. Em relação ao restante do país, a Nutreco tem interesse em aumentar participação nas áreas de aves e suínos, através de novas aquisições ou alianças com empresas nacionais.

Revista AG - Como é o trabalho dos pesquisadores da Nutreco para atender as necessidades do pecuarista?

Luciano Roppa – A Nutreco possui cinco centros mundiais que geram todas as pesquisas nas várias espécies animais. Hoje, temos dois trabalhos inovadores dos nossos pesquisadores brasileiros sendo testados nessas unidades. A par da pesquisa mundial, a Nutreco Brasil também desenvolve pesquisas no Brasil, em estreita associação com universidades e centros de pesquisa nacionais.

Revista AG - De maneira geral, como vocês vislumbram o setor econômico para o gado de corte no próximo ano?

Luciano Roppa - Este ano tem se mostrado excelente para o setor de gado de corte e essa tendência deve se manter em 2015. Os princípios para essa afirmação estão na previsão positiva para as exportações (tanto no preço como na quantidade), e no custo das matérias- -primas, que devido às excelentes safras em ambos os hemisférios deverão apresentar preços interessantes para os produtores de carnes.

Revista AG - Quais as expectativas da Nutreco para o setor de nutrição nos próximos anos e como avalia o posicionamento da empresa nesse contexto?

Luciano Roppa - As perspectivas para o crescimento de produção de carnes no Brasil nos próximos dez anos, e, consequentemente, de rações, estão em média de 2,5% ao ano. Portanto, a indústria deverá adequar a capacidade de produção para atender a demanda. Como o mercado continua em um processo de consolidação, tanto dos produtores, quanto das empresas, é de se esperar um número menor de clientes e um número menor de fornecedores. Com isso, as empresas que ficarem no mercado deverão trazer soluções inovadoras para clientes cada vez mais exigentes. Na Nutreco, estamos nos preparando para enfrentar esse desafio, desenvolvendo produtos, serviços e pessoas capacitadas para atender cada vez melhor os clientes.